Entrando no RPG

Ali estava. Ele mal podia acreditar que era verdade. Quando ouviu que aquele livro existia ele não acreditou mesmo querendo acreditar, sabia que não devia perder seu tempo correndo atrás e mesmo assim foi. Agora tinha ele na sua frente. Todo aqueles segredos, todo aquele poder, todas as informações que precisava para moldar a realidade ao seu bel-prazer estavam em suas mão. Tudo graças ao comentário de um desconhecido. “É verdade” ele pensou “o destino tem seus meios…”

Quando fui ao RPGCON percebi que ele estava lotado… de velhos!  Não que isso seja ruim, mas senti falta da criançada de 12 anos que sempre tinha os olhos brilhando para aquele mundo infinito de imaginação.

07_-_O_Templo_do_TerrorQuando eu tinha lá meus 10 anos de idade, tive que fazer aulas na igreja do bairro para minha 1ª comunhão. Eu fazia de tarde e um garoto que conheci fazia de manhã. Ele quase nunca ia, mas agente conversava de vez em quando. Eu contava como era bacana jogar video-game e jogo da vida, e ele um belo dia me disse: “Eu não jogo esses jogos ai não, jogo um melhor ainda e que você pode ser quem você quiser e fazer o que quiser. Se chama RPG”. Nessa hora minha mente entrou em colapso!  Como assim ser quem você quiser? Pode ser o Batman, o Wolverine, o Ryu? E podia.
Depois disso procurei em todas as livrarias aquelas três letrinhas mágicas, e após muita procura finalmente achei! Chamava Aventuras Fantásticas “O templo do terror” e tinha um monstrengo animal na capa! Foi 9 reais e uns quebrados (carinho pra época), meu ticket para o mundo do RPG.

Essa foi minha porta de entrada ao RPG, e fico feliz de estarem investindo novamente nesses livros-jogos. Mas acho que se usassem uma franquia como a do Harry Potter, Crepúsculo ou GTA, certamente seria um belo atrativo á novos jogadores!

didiana jonesBom, eu não podia ser quem eu quisesse no livro-jogo, mas podia escolher o que fazer, e isso foi algo fenomenal para mim. Continuei procurando e achei o “Didiana Jones” que era um gibi-jogo dos trapalhões! Li e re-li umas mil vezes. Mais tarde foi o Hero Quest e o Magic: the gathering e minha primeira Dragão Brasil (a que tinha o Zargon na capa).

E só então lendo a Dragão é que comecei a entender mesmo o que era RPG, o que me motivou a juntar um dinheirão (para uma criança) e comprar o First Quest, kit com dados e regras para “iniciantes” no RPG. Caracas!! Aquele CD com vozes dos heróis me fez ficar maluco! A partir daí  não pensava em mais nada na minha vida, além de jogar RPG.
Com doze anos conheci no colégio um cara que jogava GURPS, ele me explicou mais ou menos como era, e nós combinamos de jogar. Não preciso dizer que ele faz parte do meu grupo até hoje.

firstquestDepois disso foi minha Era de Ouro de RPG, todo dia no recreio jogávamos, e em aulas vagas também, nos fim de semanas também… tive um personagem que começou na caixa de D&D, passou pelo AD&D, ficou tão poderoso que parei de jogar com ele e comecei a jogar com o filho dele até o 17º Nível (e não tinha moleza no XP não!).

Realmente, olhando para traz o RPG foi importante demais na minha vida. Por causa dele comecei a gostar de ler e de desenhar, e se hoje sou Designer e Ilustrado, com certeza é fruto de tantos desenhos de personagens.
Pobre do garoto que não teve a sorte que eu tive. Meus sinceros votos de sucesso ao BEJRPG que está fazendo um trabalho de divulgação e introdução de novo jogadores a esse universo! Invistam nas crianças!

Anúncios

3 Responses to “Entrando no RPG”


  1. 1 Alexandre Fnord 04/10/2009 às 11:29 pm

    É sempre bom ler relatos de como os companheiros entraram no fantástico mundo do RPG…
    Bem bacana… Você ainda curte GURPS?

    • 2 ivanprado 13/10/2009 às 7:58 pm

      Com certeza! GURPS é minha primeira opção para qualquer jogo que eu queira mais realismo. Mas como joguei ele durante anos, estou esperimentando outros sistemas. Hoje em dia tenho rolado mais nWoD.

  2. 3 IcK 24/10/2009 às 12:48 pm

    O engraçado era q eu era tao desesperado por RPG naquela epoca, q todo mundo novo q eu encontrava eu falava sobre o RPG, inventava algum motivo pra puxar assunto e pronto RPG! Foi assim q falei com o Neyto e com vc naquela vez! hehe parecia esses crentes!
    No meu começo, q foi anterior a este dia, tb fiquei encantado com o jogo, e como foi ateh mesmo antes do hero quest, eu e meu vizinho tivemos q inventar sistemas com uma cabeça de criança de 7 anos, onde tudo se resumia a porrada! Bons tempos! hehehe


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: